terça-feira, abril 06, 2010

As pedrinhas transparentes




As pedrinhas transparentes



Aos domingos, na praia, catava pedrinhas, escolhia as transparentes. Gosta de transparências.

Um dia um homem se abaixou e lhe ofereceu uma pedrinha. Seguiram juntos catando pedrinhas. Acompanhou-a até sua porta, despediu-se com um ‘até domingo’. Ela sentiu algo diferente. Há muito não tinha contato com homens.

Esperou ansiosa o domingo. Saiu antes da hora de sempre, da calçada viu o homem à beira mar. Foi em sua direção, tímida.
Ele sorriu e seguiram caminhando pela areia. Falavam pouco, ela desacostumada de falar, ele só dizia o essencial.

No terceiro domingo, ele entrou em sua casa. Ela havia preparado a casa, sabia o que ele viria.

Mais aqui.

3 comentários:

expressodalinha disse...

Há pedras que nem sempre fogem...

angela disse...

Gosto desse seu conto, tão suave e simples.
Não é que as vezes acontece assim?

Anônimo disse...

Oçá. meu nome é malu e eu estou adorando o seu blog, o conteúdo dele é incrível, me identifico muito,em especial pelo Marlon Brando,eu também o adoro muito!Estou atrás de uma biografia dele, mas não acho.Penso em cirar um blog logo em breve.
Parabéns pelo blog!