quarta-feira, janeiro 13, 2010

Que pena! Zilda Arns morre no Haiti

Que tristeza! Era uma das pessoas que eu mais admirava. Adoraria ter trabalhado com ela. Putz!
Tenho um amigo querido por lá- Sto Domingo- estou rezando para que nada aconteça a ele e família. É... parece que a Terra se acomoda e nós dançaremos. Até em Natal sentimos tremores. Penso nos meus filhos...


 Divulgação

"Eu era viúva havia cinco anos e estava tomando lanche com meus cinco filhos à noite, quando o telefone tocou. Era maio de 1982. No telefone, estava o meu irmão dom Paulo Evaristo Arns, na época o cardeal de São Paulo. Ele me contou que vinha de uma reunião da ONU. Eles pediram a dom Paulo que pensasse sobre como a Igreja poderia ajudar a expandir o uso do soro oral para as mães, com o intuito de evitar a desidratação, causada pela diarreia. E ele me aconselhou a pensar em como fazer isso. Foi, para mim, um momento de muita emoção. Na ocasião, eu era diretora da Saúde Materna Infantil do Estado do Paraná e o partido político no governo havia mudado. Apesar de eu não pertencer a nenhum partido político, eles me tiraram da direção da Secretaria da Saúde. Eu me sentia subutilizada quando dom Paulo me telefonou, parecia que Deus estava me abrindo uma grande porta: ensinar as mães a cuidar melhor de seus filhos. Depois que meus filhos foram dormir naquela noite, eu planejei a Pastoral da Criança inteira. Eu queria salvar vidas."

Zilda Arns, 75 anos, médica, sanitarista

Revista Época

4 comentários:

Mabelle Barthes disse...

75 anos são... 75 anos. Bem mais que multiplicar 75 por 365 somente. Enfim, não a conhecia, não. Contudo, não evito pensar que ela esteja melhor que eu agora. Que nós. Maybe.

A propósito, ótimos são os desenhos teus. (:

Vivien Morgato : disse...

Fiquei muito triste. Mas penso que foi uma vida que foi vivida até o âmago, intensamente e com profundidade.

angela disse...

A gente sempre sente quando uma alma boa parte deste mundo.
beijos

Anônimo disse...

eu soube agora há pouco, no Aqui tem coisa, da triste notícia. será que ela estava a trabalho? enfim , agora não importa. eu morro de medo dos tremores daqui. temos treinamento todo ano, na escola, no bairro. Aqui, é um dos países mais seguros do mundo, podemos andar nas ruas, altas horas, sem medo, as crianças aos 6 anos vão à pé p/ escola. Por outro lado, eu morro de medo de maremoto, terremoto, furacão, ciclone, tufão...
bjs
madoka