domingo, abril 18, 2010

Esta manhã


Esta manhã

O dia está nublado. A grama molhada traz calor. O chão úmido brilha no chão da varanda. Hoje não será preciso molhar o jardim.
De longe, o choro de uma criança desde o amanhecer.
O boiadeiro me despertou com seu ÉiaÉiaaaaéiaaaaaaa. Olho da janela e vejo o gado disperso na Fazenda vizinha. Porções de branco na pastagem. O amigo me disse: São garças, não emas. Não as vejo de perto apesar do rio tão próximo. Onde o belo voo ao entardecer? Escondem-se de mim, as garças?
Olho meu escritório, livros por toda parte, a mesa desarrumada. Atrás, à minha direita, duas pranchas de surf encostadas, à frente, na sala, duas guitarras apoiadas no sofá. O olhar encontra, ainda, os dois gatos- enlaçados- ela no cio, geme. Levanto e os separo.
O mormaço parece retardar o tempo, esta manhã.

5 comentários:

André disse...

Parabéns pelo texto. Realmente, a importância que deveriamos destinar a momentos em nossa vida são irrisórios e incomuns, mas pensar em ter momentos de contemplação, mesmo com as adversidades e inconstâncias do tempo em se vai chover ou não, se vai ventar ou não, se há algo pairando no ar, sempre nos remete a idéia de comodismo e cotidiano, mas se engana quem pensa assim. É o não saber o que virá que vive a incrivel e incansável sensação de viver.

Parabéns novamente pelo texto.


Abraço.

expressodalinha disse...

Tem gado aí ao pé? Eu tb. tenho gatos e guitarras no meu escritório...

Diz disse...

Obrigada, André, fico feliz q tenha gostado. tentei entrar no seublog e dá tiuti-fecha o firefox.
Abs, Laura

Jorge, tem gado nas Fazendas aqui atrás.
Bjs Laura

Lia Noronha disse...

Laura: uma bela manhã pr ati...sempre!!
Bjus carinhosos da amiga de sempre.

Sweet! disse...

Adorei.