quarta-feira, março 31, 2010

Vida e morte com Klaus Nomi, Barthes, e Satie



Algumas coisas me tocam muito. Ouvi esta música hoje- recebi via @JorgePontual.
É comovente. Jorge fez um caminho inverso ontem contra a correnteza do BBB postando links de músicos gays, muitos já morreram de AIDS. Vejam aqui.

Outro dia, aquele da piscina que meu filho me deu um banho, eu chorei ao ler um trecho de Barthes em francês.
“ : Du Phoenix, on ne dit pas qu’il meurt, mais seulement qu’il renaît (je puis donc renaître sans mourir ? )*
É possível renascer sem morrer ?
É de chorar esta frase de Barthes- ele está citando “Werther” neste trecho- de Goethe.

*De Phoenix, não dizem que ele morreu, só que renasceu (eu posso, portanto, renascer sem morrer?





Eu adoraria morrer ouvindo esta musica de Satie- já disse antes. Iria sorrindo.

2 comentários:

expressodalinha disse...

Prefiro ouvir e ficar vivo. Detesto a morte. Adoro esta música.

Lia Noronha disse...

Laura: muita paz pr ati e sua família nesses dias santos!!!
Bjs d amiga d esempre.