sábado, fevereiro 06, 2010

Miniconto- Nestes dias...



Nestes dias...



Jogou o paletó sobre o sofá num gesto brusco. Meu coração acelerou. Disse, fingindo naturalidade:

- Tudo bem?

- Como tudo bem? Não está vendo a minha cara...

Olhei, agora com permissão, o rosto dele. Os olhos injetados, fixos em mim.

- Que culpa eu tenho?

- Que culpa eu tenho?... Nenhuma! você vive no seu mundinho, não sabe de nada! Merda de vida! Cale esta boca!, ele disse entrando no quarto.

Sabia que precisava obedecer.

Agora paralisada olhei os braços desbotados da poltrona, os fios esgarçados.

Pensei: É este o meu mindinho- esta poltrona, o quarto de dormir, a cozinha. Pouco olho a janela. Nada fora me interessa.

As lágrimas deslizam, a garganta trava. Tenho pena de mim. Passo o dia a espera dele, cuidando da comida, das camisas... “Passe de novo, não vê que passou mal?”

À noite me ama. Abre minhas pernas com a posse permitida, sorve fluidos. Gosta de me ouvir gemer. Mesmo sem prazer, gemo. Depois sobe o corpo pesado sobre o meu e me penetra. Há dias em que gosto, noutros finjo, nestes pego o membro rijo e com habilidade especial o faço gritar de prazer. Puxa meus cabelos, enquanto suspiro aliviada.

Logo ele esquecerá que estou ao seu lado.


PS: Fiz agora, não revisei, logo...

3 comentários:

angela disse...

Tem vidas tão pequenas e coração tão amplo. A vida esmaga o coração.
Lindo conto
beijos

C. Azevedo disse...

E ai, coraçao, tudo bom?!
É a primeira vez que eu passo por aqui e tneho que te dizer que eu curti o teu conto.

Por mais que descreva uma cena bem curta, voce consegue explorar todo o ponto de vista da personagem. Parabéns por conseguir dizer tao pouco com tao poucas palavras!

;D

C.Azevedo
www.ograndeurso.blogspot.com

Maria Muadiê disse...

muuuuito bom, Elliane, adorei.