sábado, dezembro 13, 2008

"Mas se amo teus pés..."

"Mas se amo os teus pés
é só porque andaram
sobre a terra
sobre o vento
e sobre a água,
até me encontrarem".


Pablo Neruda*



Passei mais de um dia sem conexão- problema na Oi, meu telefone é Oi Total.

Hoje fui a um churrasco, coisa que não faço nunca, apesar de aqui, acho que é no Brasil todo, muita gente fazer este tipo de encontro nos fins de semana. Eu quase sempre passo só, na minha, almoço com os meninos, depois cada um vai para um canto...
Bom, hoje fui e me senti péssima no início. Não havia um grupo para eu estarra a comemoração da formatura de um amigo de Luc, que já conheço faz tempo- eram da mesma banda. A família foi super gentil, mas eu não fui acolhida na mesa dos mais velhos, acabei na mesa dos jovens. Me senti peixe fora d'água. O lugar era grande, um sítio num bairro perto daqui. Voltamos em 15', a ida foi atrapalhada, em comboio, dois carros atolaram na areia, eu não :)
Esta sensação de que não há lugar para mim me persegue.
Mas havia Daiany no fim da tarde, insisti para que dormisse aqui- estão, (ela e o marido), dormindo lá no quarto zen- e ai, sim, me sinto acompanhada. Mostrei-lhe a agenda que ganhei, ela gosta muito de Fernando Pessoa e me recitou uns poemas. Eu não sei nenhum poema de cor, sou péssima nisto, nem do Drummond eu sei, só sei os primeiros versos de "O que se passa na cama é segredo de quem ama" porque... vocês sabem o porquê. Tão bom falar a mesma língua. Eu e Dai falamos, ai me senti melhor.
Ela recitou um poema de Florbela Espanca que diz que não o odeia. Leia aqui.
Posso contar que falei com o sr X , contar do e-mail do príncipe, compartilhar. Como tenho saudades dos meus amigos queridos. Dai e Jo, são muito queridas aqui da terrinha (nenhum teor pejorativo, apenas a forma com o C. Scliar falava e eu gosto, ele e Ch. falavam assim- difícil lembrar que o Ch. não está mais vivo).
Engraçado, com a Jo eu rio muito, faço ironia com o que se passa comigo, e rio muito. Fico mais gaiata, o marido dela também se diverte comigo. A Dai me faz mais séria, falamos da vida com mais seriedade. É interessante como posso ser diferente dependendo do ambiente. Na casa de Jo eu rio tanto como nunca rio aqui em Natal. A mãe dela está aqui, é italiana e não fala o português bem, então Jo traduz para ela o que eu conto porque a mãe quer saber porquê rimos tanto.
Esta noite tive um sonho muito estranho: Visitava minha avó paterna, ela descia a escada da casa dela, muito guapa, eu pensava no quanto ela estava bem, inteirona. Depois, no sonho mesmo eu pensava se não seria minha tia travestida de minha avó, se passando por ela.
Que coisa mais estranha, este sonho. Tipo 'Psicose', lembram? hihihi Que maluquice, ainda não parei para pensar, amanhã penso.
Esta avó era minha vizinha em Curitiba, uma mulher fria, rígida. Era portuguesa, usava saia longa preta ou cinza. Quando fui morar no Rio se aproximou de mim pela primeira vez, me deu um abraço, nunca havia dado. Eu vivia naquele momento um problema com a outra avó. Mas não quero pensar nisto agora. Chega. Vou dormir.
Bom domingo.

* Eu mandei este poema para um amor, não me arrependi.

Em agosto, eu comprei uma agenda de 2008 porque eu gosto muito, vem com imagens de quadros e poemas, letras de músicas. Não diz quem editou, acreditam? as pessoas aqui sabem quem é, mas eu esqueci... quem me vendeu sabe, mas foi lá no centro num lugar que só vou quando vou na dentista. Ando sem vontade de sair daqui, preciso marcar revisão de médicos e voltar na dentista. Eu já não gostava de sair, agora com espaço e conforto...mas é preciso sair. Saio só para compromissos profissionais, ainda bem que adoro trabalhar. Agradeço aos deuses o que faço, me dá satisfação enorme, quem trabalha com psicanálise sabe o quanto é gostoso. Não é?

3 comentários:

. fina flor . disse...

às vezes também me sinto assim, como se não houvesse lugar para mim,´tão ruim.........

beijos, linda e boa semana,

MM.

D. disse...

Flor, fui lá te ver, sempre linda e cada dia mais estrela.

Maria, o seu comentário sumiu porque o blog foi mudado, mas eu li. Afinamos nos poetas :) bjs e tudo de bom ai no frio lusitano.

D. disse...

AH! a D.agora sou eu,porque antes tudo aparecia com DIZ e eu não achava legal, a Diz na Laura e n Oriente-se. Vamos ver... se incomodar mudo de novo.
Bjos Laura D.(de Diz)