quarta-feira, março 14, 2012

A Chuva de Maria, de Martha Galrão


Daqui


Hoje é o dia nacional da poesia, vamos aos poetas.
Estou lendo o livro de Martha. Já a citei aqui, é minha poeta preferida, contemporânea. Tem uma simplicidade cativante e um lirismo que vem do feminino e da beleza de uma vida sem artifícios e muito afeto. Conheço Martha há alguns anos e venho acompanhando seu despertar na literatura- fico feliz quando faz um novo livro. Merece.
Com vocês alguns poemas:




Palavras

Uma palavra lasciva: delícia,
uma palavra dengosa.

Duas palavras alegres: peteca e
manhã.

Uma palavra tensa:
tempo.

Uma palavra firme: chão.
Duas palavras tristes: dor e saudade.

Uma palavra livre:
beija-flor.




A chuva de Maria

Tudo por fazer é água
que Maria acolhe
e carrega no cesto.
Chove, Maria
chora o leite derramado

lambe as letras
sorve o leite
pranteia seus amados,
Maria.






Água


Água
transforme minha dureza
em correnteza

Água
transforme minha queda
em cachoeira

Água
transforme meu medo
em corredeira

Água
me transforme em vapor
me alivie por inteira.

Um comentário:

Maria Muadiê disse...

Um beijo imenso.