quarta-feira, agosto 04, 2010

Una furtiva lacrima



Esta música lembra minha infância- um toca discos na saleta, Curitiba.
Meu pai faria aniversário agora no dia 1º- pensei nele- é inesquecível- lembro dele no dia à dia.
Tudo muda tanto... a gente quer segurar o tempo para que não venha a estranheza. Não tem jeito. Vivo de estranhezas hoje e muitas me trazem dor.
Mas sobrevivemos, não é, mesmo? C'est la vie, ne pas?

J'ai eu de la chance d'avoir eu un bon père. Obrigada, pai.

Um comentário:

Eduardo P.L disse...

Que vivam pelo menos na memória TODOS os pais do mundo! Sem ELES não estariamos aqui!