sábado, agosto 28, 2010

Uma carta que poderia ter sido escrita, se ele...


Foto*



Rio de Janeiro, junho de 1984


Meu amor, você chega amanhã. Deve estar exausto, ansioso pelo voo, mas feliz, e eu aqui a contar os minutos.

Ficar sem saber de você tanto tempo me deixa enlouquecida. Escrevo para não me perder naquela fala vazia quando estiver à minha frente. Você ri, eu sei, mas eu sofro com esta minha incerteza. Não ria, amor.

À medida que o tempo passa sem você eu vou desbotando. Ontem precisei ir ao sol, me sinto feia sem cor, você sabe. O teu silêncio me faz imaginar, por alguns segundos terríveis, que encontrou outra mulher. Ela tem mãos delicadas como as minhas, mas mãos lindas, de jovem. Imagino que ela sorri para você, leviana, eu nem sei se consigo ser leviana. Seria? Eu sou profunda.

“É isto que amo em você”. Teria que ouvir agora. Preciso ouvir agora.

Estou chorando, sei que sou uma tola: “Tolinha”.

Você diria que sou leve. A minha leveza é por temer desejar algo com ardor e não alcançar. Tudo fica no ar. Tenho medo de me agarrar a algo e sucumbir. Aprendi a ficar assim, leve, navego na superfície, não saberia mais remar contra a correnteza. Eu cansei de viver na contra mão- você sabe.

E se você não chegar amanhã?

Minha cabeça dói há dias. Deve ser esta luta interna para me manter lúcida. Agora estou sorrindo. Sou tão lúcida, não é? Pois é... Somos tão lúcidos. Por que fico tão enlouquecida?

Chega. Já estou melhor.

Amanhã quando a porta abrir e você entrar, eu estarei leve e feliz, é isto que importa.

Um beijo da sua, Laura


*Esta foto do Rio é daqui

4 comentários:

Camille disse...

Nossa, ai tem um Pao de Açucar ao contrario?
Oi Laura, nao consigo ler essas coisas de relacionamento mais nao. Nao tenho mais cabeça para isso. Quer dizer, eu li,nao consigo mais ler impunemente. Isso me angustia. Nao quero mais saber do assunto. E nao analise isso! Hehehehehe. BOm, espero que voce encontre alguem que diga a voce o que voce quer ouvir, e ao dizer, seja verdeiro e te ame do fundo do coração.
Beijos,
Cam

Diz disse...

Camille é uma foto de Ipanema- o Morro dos 2 irmãos-vista do Hotel Fasano :)
Qrda, eu passei anos assim como vc- até q um dia me apaixonei- não deu em nada, mas resgatou o amor em mim- não acredito mais em encontros possíveis tb- estou fechada talvez- cansei. Estou fora do mercado- como alguns dizem por ai.
Bjs Laura

angela disse...

A vida é cheia de surpresas, lugar comum a frase mas verdadeira. Quando a gente menos espera está como uma adolescente com as pernas moles e o coração batendo forte e vai até achar que é melhor que não sentir nada. A vida doi de qualquer jeito.
A carta é linda e eu poderia tê-la escrita algumas vezes na minha vida, quero dizer com relação aos sentimentos que você expõe.
beijos

Diz disse...

Pois é, a vida é cheia de surpresas- conheci meu ex- pai dos filhos,no eterrodo Drummond rs
Mas a gente precisa abrir-se- ando fechada, eu e Camille, ela é jovem, precisa curar esta dor.
Bjs e bom domingo p vc. Laura