sábado, maio 01, 2010

Estes dias...



Esta música é a minha cara. Também de mais alguém que eu conheço. Mas o deixemos para lá.
Andei pensando estes dias porque me sinto tão incomodada, desconfortável, quando escrevo e a pessoa não responde. Penso mil coisas- que falei demais, que deveria ser menos espontânea- que isto me afasta das pessoas. Que tenho uma forma de me expressar com afeto mal compreendido por quem não me conhece bem etc. e tal.
OK, alguns, como Raduan, dizem que tenho uma espontaneidade cativante- ouvir isto dele é um bálsamo para qualquer ego, mas não basta- ele está longe, nos falamos pouco.

Por que aquele que não te quer pesa mais do que aquele que te quer- está ali ao seu alcance?*

Aquele que falta...

Está bom, atualmente até os que tenho estão distantes- e o alcance é simbólico.
“Amo” mais de um homem, posso dizer? Amo à distância. Nunca amei dois dividindo tempo e espaço. Acho que seria impossível, me atrapalharia.

Amar dois é mau caratismo? Não acho.

É possível se amar aquele que apenas fala conosco, com quem não temos contato físico? Apenas o amamos por admiração intelectual?
Difícil dizer. Márcia Tiburi soltou algo como: isto é corpo. Não entendi, consigo tentando pensar algo, mas nem ouso colocar aqui. Vou entender. Cadê a Márcia pra me explicar? Será que o C. me explica? Vou ver.

Alguns pensam que eu sou A COMPLICADA, aquela que só ama de longe. Rs ledo engano. Apenas não tenho encontrado um par que me agrade, e quando encontro, está lá longe, nem adianta fazer muito charme. Outra coisa, detesto jogo de sedução à distância, a escrita fica marcada, indelével, e eu me vejo ridícula- me arrependo depois. Claro que não deixo de fazer, é incontrolável muitas vezes, sempre há um jogo nas relações reais ou virtuais- nosso inconsciente está ali, jogando, tentando levar você para lugares que nem sempre você percebe- quando percebe, se tiver coragem para se ver, já é tarde.

O tempo... e dizer que o tempo não existe... mas uma frase jogada pode ser mal interpretada- aí é tarde. Sabe aquela carta de antigamente jogada dentro de uma garrafa ao mar- pois é, é isso.

* As moças do “Saia justa” falaram sobre isto esta semana.

Mudando de assunto:

Hoje a amiga que tenho aqui veio me visitar, trouxe um presente lindo- um pingente que trouxe da Itália- fiquei feliz. Tão bom se tivesse mais amigos aqui, minha querida Dai anda longe também. Estes dias encontrei no Facebook uma conhecida da década de 70, foi bom ter notícias dela e de outros, estes amigos.
A casa estava cheia de jovens- amigas do meu filho- o outro havia saído para tocar guitarra num evento. Almoçaram aqui, fizeram bagunça na cozinha, mas gosto quando vêm. Estavam estudando- melhor ainda. Fico feliz.

O gato acaba de escapar pela janela- a única aberta- atrás de mim- foi rápido. Estou mantendo-os presos à noite, de dia ficam por aqui, é muito quente, mas quando refresca gostam de circular pelos jardins da casa ao lado- estou com medo. Minha amiga disse que estão matando os gatos de Natal- deu na TV- por causa da Toxoplasmose.
Aqui no condomínio, já contei, acho- ando esquecida- mataram sete no sábado passado.
Um horror- pobres bichinhos. Temo pelos meus. Fui ver e não foi aqui que contei...tenho certeza que contei no Twitter e para amigos via e-mail. Minha cebeça... Estou sempre perguntando para os meninos: Foi para você que contei...?
Nunca sei para qual dos dois- difícil estarem juntos aqui.
Não é só gato que dá toxoplasmose, carne mal cozida também.

...
O gato já entrou :) ufa!

4 comentários:

Patrícia Köhler disse...

que lindo, Laura, que lindo. me identifiquei demais.
sobre os gatos, que horror. e que gente sempre mal-informada, por mais que "estudem"! toxiplasmose pode mesmo ser transmitida por diversas formas! absurdo sempre acharem que os vilões são os felinos. triste.
beijo, querida. (te leio e fico quietinha, assim como fico quietinha em quase todo post que leio de muito tempo pra cá - esses RSSs e Google Readers fazem a gente ler um monte de coisa e não parar pra se manifestar em quase nada - mas esse post, nesta noite em particular e tratando de algo que conversei hoje com meu psicanalista, não ia deixar sem ao menos dizer o quanto me identifico.
outro beijo, boa noite.

angela disse...

Gosto de sua sinceridade.
Penso que podemos amar muito, só não podemos realiza esses amores ao mesmo tempo, mas o coração é elástico, flexível sempre da pra amar de varias maneiras.
beijos

Diz disse...

Patrícia qrda, bom q vc esteve aqui. Bom que se identificou.
Depois pensei mais um pouco e pensei q queremos ser reconhecidos por que não consegue nos ver como gostaríamos- eu sofro mt c isto- e olhe q já fiz mt análise- é mal q vem lá de trás, da infância. Vc tem uma mãe tão boa, linda, lembro bem- um pai amoroso- vai resolver isto logo.

Angela, eu sou sincera, gosto- perco mto c isto alguns leitores, mas fazer o que? gosto de blogar como um diário- evito tocar em assuntos mt polêmicos pq odeio discutir c gente q não conheço bem, senão botaria pra quebrar.

Bjs nas duas qrdas, Laura

Lia Noronha disse...

Laura: que música encantadora...nos faz dançar sem sair do lugar...já percebeu?
Continue como vc é...doa a quem doer...porque quem gosta d enós...nos aceita como somos!!!
Abraçosc carinhosos pra ti querida e para seus meninos.