sábado, maio 08, 2010

Ele também ama estar só


Lagerfeld confidential : Kidman private photo shoot

LAGERFELD CONFIDENTIEL | Vídeo do MySpace



Acabo de ver na TV Monde 5 o documentário “Lagerfeld confidential”

E descobri que ele, como eu ,não acredita em casamento- morar junto.
Gosta de silêncio, de estar só. Não descarto uma pessoa muito especial, que respeite meus silêncios.

Fecha portas para sempre quando sente que alguém pisa na bola com ele- eu já fiz isto algumas vezes, com dor, mas fiz.

Eu não sabia que ele era fotógrafo- ignorância minha- ótimo fotógrafo, faz fotos de Nicole Kidman no documentário- ela linda de morrer.

Eu, como ele, gostamos de mesas bagunçadas, livros por todos os cantos. A casa dele é linda e há livros e revistas por todos os lados.

É interessante como eu vejo documentários e fico a me identificar- todos vocês pode ser que sejam assim.

Ele tem garra. Passado é passado. Um lançamento fica para trás, agora é hora de pensar o próximo, diz.

Lamento não ter tido mais garra.

Ele diz que se alguém se debruça sobre o passado acreditando que o melhor dele está lá, deve se jogar pela janela.

Achei engraçado quando o entrevistador- Morconi- perguntou se ele idealizava a mãe. A resposta foi a confirmação disto, mas ele disse: Não, não idealizei, minha mãe foi perfeita. Pode ser que ela tenha sido mesmo. A ele enumera qualidades da mãe:
Mulher forte, amorosa, sem ser controladora, nem viscosa, foi livre e leve. Deixou-o livre- o amou muito, foi mimado muito. Karl é alemão e diz que a mãe escapou- não é uma típica mãe alemã. Ele não teve educação religiosa- disse não sentir necessidade de perdoar, culpa- que beleza- também acho uma falácia esta ideia de que temos que ser generosos e perdoar- feriu a ferro e fogo? Mato. Não perdoa. Ponto final.

Fala de sexualidade com discrição- mostra fotos de jovens. Há um que é fotografado enquanto filmam- belo, cara de alemão.

Viveram a guerra de longe. Acredito que quem viveu o tempo de guerra tem uma moral menos rígida- eram tempos onde a morte presente mudava valores.

Ele tem uma quantidade enorme de anéis de prata- usa-os em vários dedos. Tem um de ônix igual a um meu- também gosto de anéis de prata,mais do que jóias de ouro e diamantes.

No final ele fala contra a psicanálise. Não lembro bem, algo como: tivemos épocas sublimes sem psicanálise.
Diz algo como se olhar, se ver- e não precisar de analista. C'est vrai nem todos precisam de analistas. Eu ador psicanálise- é de uma beleza impar- quem conhece sabe- mas nem todos ousam. Não é fácil.

Ah! Por que moda? Por que um estilista? Eu adoro este tema- poderia ter sido uma- gosto de criar roupas, tenho um estilo próprio- agora não tenho feito nada, mas mandava fazer vestidos que eu inventava- e eram bonitos.

E, quem fica ai pensando, ué, ela não reclama de solidão. Sim, mas é de estar só em todos os aspectos- exceto filhos- não tenho pares para conversar- bom, estou resolvendo isto, espero. Preciso voltar a estudar- estou recomeçando contatos.



4 comentários:

Márcia(clarinha) disse...

Feliz domingo das mães minha querida,
toda felicidade desejo de coração
beijos

Isabela Candeloro Campoi, disse...

Lembrei do Rainer Maria Rilke, em Cartas a um jovem poeta, quando ele descorre sobre o respeito das solidöes...
Um beijo

Isabela Candeloro Campoi, disse...

uia: discorre...

expressodalinha disse...

Como sabe não gosto de estar só. Mas entendo...