quinta-feira, janeiro 14, 2010

Um sonho com tremores




Foto da duna onde moro


Sonhei que o prédio onde eu morava estava abalado por um terremoto. Eu saia assustada e pegava uma toalha, um travesseiro e um lençol- pensava em pegar escova de dentes, mas não havia tempo- era preciso evacuar rápido.
Via o prédio de frente soterrado, os primeiros andares não apareciam, os últimos estavam intactos. Eu lembrava que morava ali a filha de alguém conhecido- Chico Buarque, talvez, e via na janela uma moça com bonecas nas mãos. Ficava aliviada.
Na calçada havia muita gente. Encontrava a mãe de uma amiga- S.- com uma criança no colo- era filha de S. eu a pego no colo, vem sorrindo para mim. Digo que é parecida com S. menina.

Eu sempre tive medo destas catástrofes naturais- não poderia viver no Japão, nem na Califórnia, nem no Caribe.
Madoka, a amiga que mora no Japão, escreveu dizendo que lá é um país super seguro, as crianças com seis anos podem ir à escola sozinhas- ela já contou que vão em grupos e adultos as orientam nos semáforos. Mas diz também, que morre de medo de furacões, terremotos, tsunamis... Pois é, lugar nenhum é tranqüilo.
Talvez o homem precise desta inquietude, desta insegurança- afinal não sabemos em que momento morreremos. A morte pode estar em qualquer esquina, sorrateira. Melhor pensar a respeito. Também por isso precisamos crer num Deus-Todo Poderoso, que nos proteja, nos acolha, nos perdoe de todos os pecados cometidos.

No sonho o prédio poderia ser a minha casa de Curitiba, de quando era menina, ou o de Ipanema- a rua poderia ser a Nascimento Silva. Ali mora a filha de Tom Jobim, era minha vizinha, mora num edifício pequeno e antigo.

Tenho sonhado com esta amiga, ela me feriu muito há uns dez anos e eu me afastei para sempre. Acho que é outra pessoa hoje, aquela que eu conheci não teria me dito o que esta disse. É uma realidade, as pessoas mudam- umas para melhor, outras não.
Casou com um homem muito nojento- rico, arrogante e grosseiro. Três coisas difíceis de suportar, sorry, ricaços- tenho amigos ricos que não são arrogantes, mas este... O cara mais antipático que eu conheci. Ela se tornou fria- já era narcisista e histérica, mas era muito amorosa, virou calculista. Muita gente não gostava dela, sei, mas éramos amicíssimas- era uma relação de amor entre duas amigas. Sinto muito ter acabado assim. Penso se está bem- poderia ligar para saber, sou amiga da família, mas tenho medo de ouvir uma má notícia- já ando tão frágil.

Estes dias tive um piti e disse que quem deveria estas sendo cuidada era eu e não esta exigência toda sobre mim. São todos egoístas- não veem meu lado.

Eu sei que eu preciso mudar muita coisa. Primeiro preciso voltar a me exercitar- não vou à piscina há séculos. Preciso exigir mais respeito quando estou escrevendo- me chamam o tempo todo- hoje estou surpresa- até que estou em paz aqui.
Mas já molhei o jardim, vi o que seria feito para o almoço, pedi água pelo telefone, recebi o rapaz, tirei roupa do varal. Olhei a comida. Daqui a pouco vou lá servir minha mãe.

Cansei de falar de mim. Bye.

4 comentários:

Georgia disse...

Olha, eu sei que quando sonhamos com um prédio que cai ou está em ruinas, significa que nós teremos uma forte mudanca na vida da gente ou com pessoas que nós amamos. Nao é morte, mas situacoes que pareciam firmes e que vao nos surpreender. O fato de você sair e levar coisas, significa que vc terá muita cabeca e exatidao nesse momento da crise que virá, sei disso por experiência própria. Já sonhei assim e pude observar o que me aconteceu depois.
Quantos as amizades já sofri algumas decepcoes dessas onde eu escorreguei na maionese e o tombo foi feio. Hoje em dia sou super desconfiada e nao me abro mais como antes. Uma pena que a vida nos leva o sabor do primeiro amor das coisas.

Um abraco

angela disse...

Ufa!
Pois é as catastrofes existem e são terriveis, mas a vida é feita dessas pequenas coisas como molhar o jardim, pedir água, ver o almoço, brigar com a amiga, etc e as vezes esse cotidiano vai nos corroendo lenta e inexoravelmente.
Cuide-se com carinho.
beijos

Diz disse...

Obrigada qrdas, vcs são mto gentis e amorosas,vou lá dizer algo,
bjs Laura

Anônimo disse...

Outro dia de madrugada houve um tremor, na escola 6. Assustador. Mas a diferença é que aqui, o país está de alguma forma preparado para esse tipo de catástrofe.
É muito muito triste o que aconteceu no Haiti.
beijos
madoka