domingo, janeiro 31, 2010

A cadeira vazia



Ontem sonhei que estava numa sala. Havia uma cadeira destas de escritório, grande, vazia- seria do meu namorado. Penso que preciso fazer algo- estávamos brigados.
Em seguido lembro que ele está morto e choro muito.
Não poderia voltar.
A minha tristeza...Ah! deixa pra lá. Nem quero lembrar.

Penso que se eu tivesse sido mais louca a vida teria sido diferente. Teria enfrentado situações difíceis, conflitantes, sem medo. Fui muito medrosa- ainda sou. Me surpreendo com alguns gestos meus, por ex., viajar sozinha foi um desafio. OK. tenho amigos lá, mas eu circulei quase todo o tempo só e sem medo. Falando quase nada da língua. Por isso não ousei ir mais longe. Não me imagino num quarto de hotel de um país estranho, sem conseguir me comunicar- meu inglês é sofrível.

Meudeus hoje venta aqui como num deserto. O cão chora, late, não aguento mais. Já dei comida, troquei de lugar, dei osso, biscoitinho- nada. Deve ser o vento.

Esta noite sonhei que preparava tinta para pintar o cabelo- estou precisando- sempre tenho estes sonhos, tipo infantis. Ai, via no couro cabeludo uma planta enraizada. Juro. Minha tia, Mira, que já morreu há muitos anos estava comigo e eu pedi que a retirasse. Ela tirou com dificuldade, com força uma plantinha com uma raiz longa- eu senti alívio- como se tirasse também a dor de cabeça. Ando com dor constante- suponho que seja sinusite. O as chateações que independem de mim- se vocês soubessem ...

Ando mexendo com as plantas, planto aqui, limpo ali, gosto, me relaxa.
Fazer tarefas domésticas ajuda muito a aliviar ansiedade e angústia. Hoje estou lavando roupas- já vou lá estender e fico para lá e para cá na casa fazendo coisas. Preciso descarregar a pilha. :)

Tia Mira era querida, irmã do meu pai, vivemos perto, em Curitiba, muitos anos. A nossa casa era geminada- meu pai fez uma casa para ele e outra para minha avó e esta tia, que moravam juntas. Tia Mira era leve, bem humorada- o oposto de mi madre. Hoje eu lhe disse que precisa ver o lado positivo da vida. Tudo vê o lado feio.

4 comentários:

angela disse...

Pelo jeito o dia foi dificil, mas amanhã será outro dia (como diria nosso poetaChico). Pessoas leves ajudam a deixar algumas cargas mais leves.
Beijos

Márcia(clarinha) disse...

Flor querida,
obrigada pelo seu carinho ao lembrar de mim, gostoso isso, lembro dos amigos que não conheço ao vivo e penso como seria delicioso abraçá-los, quem sabe um dia?
Sonhos nos confundem, não consolam, nos perturbam, não lhes dê tanta importância, se foi bom, ótimo, caso contrário esqueça-os.
lindos dias querida
beijos de loviú

Diz disse...

Angela, vc é um presente :) leve.


Marcinha, que bom vc aqui- sinto sua falta no virtual.
Bjs e loviú :)

Anônimo disse...

Então que tal ser louquinha agora heim Laura? Nada mal
beijos
Madoka