sexta-feira, dezembro 11, 2009

Mini conto- Ata-me




Semidesperta olha a janela sem cortinas. Adivinha a duna dourada, a cena bucólica. Encolhe-se fugindo do sol que aquece a cama. Cerra os olhos. Ouve ruídos. Alguém faz café. O estômago dói. O corpo tem fome. Ela não.
A vida é laço esgarçado- desfaz-se.
Desatar nós, atar.
Como se a mão que os aperta é frouxa?

4 comentários:

Anônimo disse...

Que bonito, Laura!!! Síntese perfeita! Parabéns!!! )

bjo querida
andrea

Myriam Lorenzetti disse...

Como se a mao que os aperta e frouxa? Gostei disso.
Beijos.

Maria Muadiê disse...

gosto muuuito dos seus "continhos"

Diz disse...

Queridas, obrigada
:)
bom que gostaram.
Bjs Laura