quarta-feira, novembro 18, 2009

Sonhos



Depois de dias sem lembrar sonhos esta noite foi um turbilhão.


Tive vários sonhos:


- Colhia frutos numa árvore: maçãs, peras, pêssegos e mangas.

Amo pêssegos. Nunca mais comi- aqui são péssimos- vêm de longe, congelam. Quando viajei pensei encontrar lá, mas era início de outono- comi alguns so so – como diz o Thomas Cohn.

Em Curitiba na Fazenda de tio Nésio (Genésio Moreschi) havia pêssegos, uvas, ameixas, butiá, marmelos, tangerinas, laranjas... São de lá minhas melhores lembranças da infância.


- Estava numa casa- talvez a casa da minha infância. Vi uma barata numa porta, passo de fininho. Digo às pessoas próximas sobre o inseto. Desço uma escada, sinto que cai algo sobre mim- foi a tal barata que jogaram. Começo a chorar e dizer que não deveriam fazer isto, que odeio este bicho- chorava muito.

Ontem uma cliente contou sua fobia a animaizinhos- filhotes de gatos, cães, pássaros- tudo. Um dia quando menina esmagou ao pular do muro um pintinho.


- Convido um amigo do meu ex para almoçar- faria peixe. Via os peixinhos pequeninos, prateados- deveriam ser comidos crus. Eu estava animada para comer- lembrava de ostras. Ele não aparece. Havia outras pessoas ali, estranham os peixinhos, eu digo que há outro maior.


- Uma mulher lê minha mão e diz que serei feliz.

Engraçado, há muitos anos uma amiga do meu irmão leu minha mão e disse que eu seria famosa. Achei tão absurdo... famosa onde, em quê? Não é que hoje muita gente me conhece aqui?

Quando tinha uns 16 anos adorava ler mãos- fazia sucesso entre a moçada- todos queriam que eu lesse. Devo ter o livrinho aqui ainda. Adorava fazer testes psicológicos- aquelas bobagens que vêm nas revistas, naquela época já existiam.



Estou fazendo análise com uma ótima analista- me surpreende- coisa difícil pela minha história- tantas análises, tantos anos de escuta analítica... Estou adorando voltar a ser ouvida. Ufa! Se vocês soubessem como é bom um bom analista... faz tão bem.

Quem quiser uma analista em Natal... é só falar. A moça é daqui, mas estudou fora, não sei bem onde.

4 comentários:

Carla disse...

Oi, Diz!

Puxa, este primeiro sonho seria perfeito se pudesse ser concretizado! Já pensou ter uma árvore em casa bem polivalente que produzisse todas as nossas frutas prediletas?
A minha daria: pêssegos, maçãs, abacaxis, mamões (que plural estranho este...), caquis, ameixas (já secas e sem caroços!, melancias (já geladas, claro!)...
Quanto à segunda parte (a da barata) já classifico como pesadelo... argh :o((

Uma boa semana pra você, livre dos insetos...

Camille disse...

Oi amiga,
Fui voltei e muito passeei mas com minha filhota de 9 anos. Foi bacana, sempr e meio cansativo com criança, mas valeju muito ter ido com ela. Obrigada pelas dicas que ficarão para a proxima quando eu for talvez sem crianças.
Seus sonhos são um show, gostaria de lembrar assim dos meus, ja te disse isso. Já que a analista é boa, voce deve estar se perm,itindo dar um bom sentido para todos eles. Lembra de um cara - ah Pedro de Lara- que decifrava sonhos? Pedro de Lara aqui entao, se cala.
Adoro Curtiba, ja morei la.( Sobre o assunto de sua mae_), mas nem sempre é real a expectativa de voltar ao lugar de origem, no caso, o dela.
Bjos da Cam

Anônimo disse...

quem quiser uma analista, tem você que deve ser ótima também.
Vc precisaria experimentar os pêssegos daqui, suculentos,e macios. Uma gostosura.
bjs
madoka

Luiz Vita disse...

Eu venho aqui, entre outras coisas, para ler seus sonhos. E sonho de psicanalistas, então, nem se fala. Acho que os sonhos são nossa ligação com o realismo fantástico de Cortazar. Sonhar é viver nos sonhos de Cortazar.

Beijos,

PS: te disse que vou escrever uma história inspirado nesses seus sonhos. Depois te mostro.