quarta-feira, agosto 26, 2009

Viver


Foto daqui



Em setembro faço aniversário, é estranha a sensação de que o tempo passou tão rápido.
Viver é estranho.
Posso lembrar com nitidez dos meus vinte anos, das sensações, dos amigos, da rua onde morava, de namorar, encostada num fusca, aquele que agora é um senhor.
Viver me traz estranheza. Sempre trouxe.
Aos quinze anos acreditava que não viveria além dos dezoito. Por que dezoito? Sei lá.
Virei uma mulher independente, mas sempre com a fantasia de que um dia seria mais feliz. De onde tirei isto de que um certo dia a felicidade viria e me cobriria como uma teia de proteção? Lembro de aos 30 anos um analista dizer: “Quem disse que existe: viver feliz para sempre, Elianne?” Trinta anos...
A vida me deu alguns presentes. O acaso me deu brindes. Os maiores presentes- os filhos. Poderia dizer o amor. Os brindes vieram em forma de amigos fiéis, aqueles que mesmo distantes não nos esquecem, amam. Tenho muitos amigos queridos, espalhados pelo mundo, a mais distante no Japão, terra de terremotos, eu aqui a lembrar dela a cada tremor de terra lá. Outro na Península Ibérica, outro no meio do mar no Caribe...na França, alguns, no Brasil, muitos.
Poderia dizer que sou feliz com o que tenho, sim, mas há uma tristeza que vem da sensação de que a vida me escapa, que há muito a viver, a fazer, e não vivo, falta um elo nesta corrente do desejo.
O elo perdido talvez seja esta ausência, perda, dos amigos, àqueles que nos contém com o afeto; a falta do lugar de referência, a terra não estranha. Começo a sentir que poucos me reconhecem com simpatia. Provoco algo que não sei dizer. Talvez me exceda ao me expor e passe vaidade. Queria eu valorizar o que tenho e faço, para me sentir a tal e sair de peito estufado mostrando meus escritos e desenhos por ai.

Chove torrencialmente e me assusta a chuva. Por que tenho medo da chuva? Das águas que inundam se vivo protegida? Penso naqueles que estão no frio. Chuva para mim é frio. Desamparo.

9 comentários:

andrea dutra disse...

querida, a foto é de minha autoria, sim! que lindo abrir seu blog e ver minha foto aí, em carreira solo! fiquei prosa! sobre o tempo, vc foi no meu blog, né? acho que depois que a gente se dá conta de que o tempo passa, a gente nunca mais perde a sensação da insuficiencia do tempo. lição pra aprender durante a vida toda. aprenderemos?

avantderniere disse...

estranho, qdo uso minha conta do wordpress nao consigo me identificar... tentando.

Anônimo disse...

alguma coisa sempre faz falta. Guarde sem dor, embora doa, e em segredo. (Caio F. Abreu)
é seguirmos em frente, apesar de.
com afeto
madoka

anareis disse...

Querida(o) nova(o) amiga(o), estou precisando muito de novos amigos pra me auxiliarem no meu projeto. Estou criando uma minibiblioteca comunitária e outras atividades pra crianças e adolescentes na minha comunidade carente aqui na minha comunidade carente no Rio de Janeiro,eu sózinha não conseguirei,mas com a ajuda dos amigos sim. Já comprei 120 livros e também ganhei livros até de portugal dos meus amigos dos meus blogs:Eulucinha.blogspot.com ,se quiser pode visitar meus blogs do google,ficarei muito contente. A campanha de doações que estou fazendo pode doar qualquer quantia no Banco do Brasil agencia 3082-1 conta 9.799-3 ou pode doar livros ou pode doar máquina de costura ou pode doar retalhos,ou pode doar computadores usados. Qualquer tipo de doação será bemvinda é só mandar-me um email para: asilvareis10@gmail.com , eu darei o endereço de remessa. As doações em dinheiro serão destinadas a compra de livros,material de construção,estantes,mesas,cadeiras,alimentos,etc. Se voce puder arrecadar doações para doar ao meu projeto serei eternamente grata. Muito obrigado pela sua atenção.

Luma disse...

A questão da referência, estava pensando nisto outro dia, após assistir o vídeo que postou do Drummond em entrevista a Leda Nagle. Como minha mãe mudou da minha cidade natal, pensava que a minha referência era onde a minha família nativa estivesse, por outro lado, meus filhos criaram raízes onde moro atualmente e a partir disso, concluí que perdi a referência de lugares. Agora vou para qualquer canto e me adapto bem, porque o meu bem estar, está dentro da minha cabeça e o levo para onde quero. "Bem" "estar" é só sentimento. Esteja bem! Beijus

Ava disse...

Também faço aniversário em setembro...rs

E aqui, meditando, depois de ler seu texto, fiquei tentando me lembrar está a menina de outrora...

Onde está a jovem sonhadora...
Elas ficaram perdidas em algum lugar, mas a mulher de hoje sente saudade delas...

Tá vendo, estou aqui a divagar...rsrs

Beijos!

Liz disse...

Que linda foto do Rio!

Passo por um processo semelhante ao seu, muita melancolia, perdi companheiro de 30 anos. Perdi filha que voou para longe, perdi amigos queridos dos anos de juventude e felicidade. E agora?
Os filhos que estão no Rio estão distantes, tragados pela vida agitada da cidade tão amada por nós ( cheguei aqui através do nosso amor pelo Rio)
O Rio ainda é a minha maior referência e aquece meu coração, embora esteja tão diferente a cada dia.
Beijo!
Liz

Olavo disse...

Me fez lembrar do que me lembro sempre o quanto a vida passa rapido demais
Belo blog
Bjs

Arapiana disse...

Fiz aniversário agora em agosto e me identifico com essa sensação de quando mais jovem não chegar a certa idade. Fiz 34 anos e ainda tenho essa sensação. Tenho tantos desejos... simples, de viver de sorrir..., mas acho que tenho medo de viver de me mostrar, de não gostarem de mim. Também me assusta a percepção que as pessoas têm de mim. Deve ser resultado dos muros que crio para me defender e me resguardar do mundo. Assisti um filme,Na Natureza Selvagem, que mostra muito bem que não há felicidade completa se vc não pode compartilhar isso com alguém. Não tenho motivos para não ser feliz, mas não me sinto, espontaneamente, feliz. Preciso aprender a viver. De alguma forma foi confortante saber que alguem tem sentimentos, percepções paracidas comigo. Quanto a chuva, não tenha medo. Eu amo tomar banho de chuva, principalmente a noite de madrugada. Quando a chuva passa ela deixa uma nitidez, um cheiro de novo, um jeito de renovado,de lavado, cores mais vivas e vibrantes.
Boa Sorte!