quarta-feira, julho 08, 2009

O conto que não entrou no livro





Dia de jogo do Flamengo



Pediu:

- Por favor, pare de arrastar este chinelo, veja o jogo sentado!

Ele fingiu não ouvir, continuou andando de um lado para o outro falando sozinho, xingando os jogadores do time adversário.

Ela, em desespero, se ajoelhou no chão e arrancou os chinelos daqueles pés imundos. Jogou-os pela janela, agarrou seus próprios cabelos, batendo a cabeça na parede.

Ele fingiu não ver.

Ela saiu da sala em direção ao quarto. Abriu as persianas velhas com dificuldade.

Ele ouviu o estrondo do corpo no chão, levou um susto, foi até a janela.

"A esta hora e ela ainda veste roupa de dormir"- pensou.

4 comentários:

Moacy Cirne disse...

Oi,
seu conto não saiu no livro,
mas saiu no Balaio.

Um beijo.

Francisco Sobreira disse...

Elianne,
Vi o seu conto em "A cabeça do futebol" e achei-o melhor do que este aqui, que li, primeiramente, no blogue do amigo Moacy. Olhe, sobre a sua intenção de nos conhecermos, veja o dia e hora que lhe for mais conveniente. Se der pra mim, lhe direi, se não, sugerirei outro horário. Combinado? Um beijo.

* Acho melhor você se dirigir a mim através do meu e-mail (franciscosobreir@supercabo.com.br)

Diz disse...

Moacy, fiquei super feliz por estar lá no seu belo espaço.

Francisco, achoo outro conto maior e mais bem elaborado, mas eu gosto mais de fazer estes bem curtinhos e maus.
Vou te escrever.
Conheci o Cirne, o Mario, o Carlos Magno, o Samarone... falta vc.
Um bj Elianne

Márcia(clarinha) disse...

Uau!
Quanta indiferença...
Belíssimo conto curto.

beijos querida flor