terça-feira, julho 29, 2008

Conto: Você vai ver...




Acabo de fazer, não tem revisão, e eu nem sei se o título será este. Me diverti fazendo. Adoro estas diálogos. :)


Você vai ver


- OK, sou um canalha, um perverso, um crápula. Por que você não desiste de um cara como eu?
- Eu te perguntei uma vez se você era um canalha e você disse que não. Eu sabia!
- Se sabia, por que insistiu em me amar?
- Eu te amar?...Tudo não passou de uma grande fantasia, você sabe. Eu inventei um sujeito que não existe, e amava este homem. Você deixou por vaidade, fez de conta. Agora se revelou- é um grande canalha.
- Você sabe que me enoja este tipo de conversa, odeio discutir relações, tenham existido ou não. Sabe que tenho ojeriza a sentimentos. Me poupe, sim? Se sou tudo isto que diz, por que se incomoda tanto quando me distancio, fico indiferente? Por que moça?
- Odeio que me chame de moça, tem uma conotação pejorativa, me subestima.
- Nunca subestimei sua inteligência. Por que acha que me mantive à escuta tantos anos?
- Pra me sugar até o fim. Você é um vampiro.
- OK, sou um vampiro. Venha cá, quero sua veia.
- Deixe de ser cínico. Além de canalha, é cínico.
- Venha, minha morceguinha.
- Está me tratando como menina, não gosto.
- Venha minha florzinha de campo, tão frágil, tão linda.
- Chega, pare com isto...
- Hum... que pescocinho cheiroso...
- Pare!
- Delícia de morceguinha.
- Seu canalha, você não vale nada mesmo.
- Hum...agora me deixe beijar sua perna lisinha, deliciosa, até lá no alto.
- Canalha, filho da puta. Vai, vai fundo, seu cretino. Um dia eu te esqueço... Vai ver...

Um comentário:

Layara disse...

rsssssss...

Perfeitas Letras!

É, nem tem o que dizer, disse tudo.
As vezes assim é, um canalha com poder de persuasão. Um Perigo!


Um beijo Lilás!


Adorei conhecer esse espaço. Belo!