segunda-feira, abril 04, 2011

Com Buda no espaço ecológico



Eu sempre digo que um dia serei budista. Tentei o do Nitiren Daishonin, mas desisti, penso que o tibetano tem mais a ver comigo- pelo silêncio- que eu gosto tanto, a introspecção.

Ontem estive num encontro com uma budista, Lama Sherab, eu a conhecia de uma palestra há anos, e sai de lá encantada com sua beleza e tranqüilidade.

Foi muito bom. O lugar é encantador, um espaço ecológico- vejam aqui: Ecovila Pau Brasil- com restaurante vegetariano- tudo delicioso. Não usam leite, nem ovos, e os doces especialmente eram uma delícia. Mousse de mangaba, doce de chocolate feito com cacau puro, sorvete de graviola, cocada- tudo da horta deles.

Foi a primeira vez que vi, ao vivo, um banheiro ecológico- seco- e confesso que a gente estranha, mas é super higienizado. O dono é um rapaz de São Paulo, acho, a mulher, uma linda jovem de Joinvile. Bom, a moça é arquiteta e especialista em comida vegetariana- ótima combinação. :)

Vou voltar mais lá.

Fizemos meditação ontem quatro vezes cinco minutos, foi bom, para quem anda agitada, como eu, foi ótimo- hoje já sentei e fiz uns cinco minutos há pouco- preciso me concentrar para revisar os contos- está mais do que na hora. Acho que desta vez engreno- preciso ser menos racional, também- a psicanálise atrapalha quando ouço conceitos novos, tento identidificá-los com a teoria psicanalítica, é possível, há muitos conceitos do budismo que lembram o que Lacan, especialmente, diz. O sujeito ilusório do budismo seria o sujeito do Lacan? Tudo é ilusório, Lacan também diz isso na Estágio do Espelho.

Difícil aceitar a reencarnação, mas eu posso meditar e não ser religiosa- apenas praticar. Será que consigo?

Vejam o vídeo, tem mais um, vou colocar depois.

Tks Lama Sherab. Respondeu uma pergunta que fiz sobre a culpa na nossa cultura ocidental. Disse que no budismo não há culpa, se você se arrepende e intenciona não repetir o que fez, está livre para receber méritos. É preciso ser genuinamente bom para receber os méritos, muitos dos nossos atos generosos são egóicos, esperamos reconhecimento, agradecimento, troca- ai não ganhamos méritos...
Não é fácil nos livrarmos do ego, como eles desejam e alguns devem conseguir- somos educados para reforçarmos nossos egos, para não levarmos desaforos para casa, difícil dar a outra face, engolir sapos e não adoecer-ela falou disto ontem- através da prática nos livramos de todo o mal(ou mau?).
Amém :) bye bye.
Não é só a psicanálise que tem a ver com conceitos fundamentais do budismo, o cristianismo puro tem muito do que Buda pregava. Nada se cria, tudo se transforma, não é?

Boa semana.

2 comentários:

Adriana disse...

Oi Elianne, qrda,
Esse foi o post que eu mais gostei (fora os do Drummond...!). Fiquei impressionadíssima.
Sabia que eu me considero budista?
Frequento um centro aqui em SP, na Liberdade - é o lugar onde mais encontrei paz, em toda minha vida.
Imagino o que vc tenha sentido nesse lugar aí. É maravilhoso.
Beijos, obrigada, adorei.

GEBB NATAL disse...

Gostaria de convidá-la para um curso com lama Padma Samten em Natal, 1 de maio, domingo. Abraço, Andréia

http://gebbnatal.wordpress.com/

A RODA DA VIDA COMO CAMINHO PARA A LUCIDEZ

A Prática do Budismo na Vida Cotidiana

Tomando como base o diagrama da Roda da Vida, Lama Samten nos mostra nestes ensinamentos a forma como lidamos com a realidade a partir da perspectiva comum e aponta a nossa verdadeira natureza.


1 de maio de 2011, domingo
das 14:30 às 17:30
e das 19:00 às 22:00

Local: Hotel Porto do Mar

Av. VIA COSTEIRA,455 – Natal –RN

Contribuição sugerida: R$ 60,00

Inscrições e informações
http://gebbnatal.wordpress.com/
gebb.natal@gmail.com

(84) 9917-6862 Andréia | (84) 9449-1700 Maria Eugênia