sábado, julho 31, 2010

Vida prosaica




Vida prosaica. Todos os dias o mesmo: a cama esticada, a gata na porta à espera, o almoço a fazer, a roupa que deve ser lavada. Nas entrelinhas, um conto, um sonho. No recreio, o Twitter.

Ontem fui cortar o cabelo- a cor nunca fica como eu gostaria- antes, sim, agora não encontro o avermelhado que gosto- detesto o cobre, e o escuro me deixa mais séria do que sou- ou mais triste?
No caminho lembrei de meu irmão que eu tanto gosto. Disse para meu filho, que estava junto- ele ficou em silêncio. Deu vontade de chorar- não morreu, não, está aqui a dez minutos, mas não o vejo. Não vou contar a história de novo- já contei- os amigos antigos lembram do casamento etc. e tal.
O outro filho disse que não chamasse a faxineira que faria a faxina- fez. Lavou o chão da sala, banheiros, cozinha. Temos mais de 150 metros de chão de cerâmica branca- limpou tudo- imaginem. Foi ótimo porque ele é o que mais suja- agora vai valorizar. O vento traz areia das dunas. Muita areia.

Quem manda vir morar na duna? O pior é o vento.

Chove e venta. Natal com chuva é triste. Em Cabo Frio diziam que pior que a cidade com chuva era Cabo frio com chuva e vento. Aqui é o mesmo- litoral com chuva é sempre triste, para mim, óbvio que outros gostam, não é, C.? Tive um namorado português- o primeiro amor de verdade, que amava ficar olhando a praia quando chovia- ficávamos no Arpoador- isto na década de 70- era gostoso comer pipoca e namorar no carro- hoje impossível. Onde um namorado, também?
Sempre penso que virão com raiva contra mim quando digo algo sobre Natal- estou traumatizada. Quando eu digo: Nossa, que vento! Ouço: Ainda bem que venta, num tom de defesa. É bom o vento, mas este tipo furacão.

Uma vez disse que aqui havia muitos católicos e alguém me atacou virulentamente aqui. Vade retro! Xô!

Odeio chuva se precisar sair- é algo enraizado, deve ser porque nasci no frio- frio pra valer.

Chuva cortante, lábios partidos, corpo gelado. (Infância).

Odeio o vento, deve ser porque menina conheci o Minuano. Tenho dor de cabeça quando venta. Enlouqueço com o vento. Aqui faz úuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu
É devastador, para mim.

Estes dias fiquei triste- pouco, paca...*- por não ter ganho nada no concurso da FLIP. Penso que não há como ganhar jamais com meus contos secos e truncados. Não é para o leitores comuns, eu sei. Entonces... não reclame.

Mimimi*. Chega. Tchau, fui.

*mimimi é expressão do Twitter, quer dizer isto mesmo desejar mimo, momento de queixume.

*Pouco: agora associo ao: Paca, Pouco ou Picas, do “Irritando Fernanda Young”- ela é bobinha, mas muitas vezes o programa é muito divertido.

4 comentários:

Lia Noronha disse...

Abraços carinhosos pr ati querida...fique na paz nesse fim de semana.

Camille disse...

Adorei esse post, voce parece mais solta e por isso tb mais verdadeira, talvez mais explicita. Me incomoda um pouco quando encontro voce falando de pessoas celebridades que conhece,pode ser que para ti seja natural, para mimsoa um pouco como- nao sou suficientemente boa para falar por mim e entao vou falar deles. Pois acho que voce é suficientemente interessante para falar de voce e por voce,com todissima certeza. Acho Natal uma festa chata , que me perdoe o Menino Jesus, se estiver em jogo alguma questao familiar como- na casa de quem vai ser a festa e tal. Com vento ou sem vento. Enfim, querida, nao sei se esse é o mimimii que voce precisa, nunca vi um twitter na vida, mas voce explicou a linguagem. Espero que tenha sido. Esse negocio de concurso tem muita politicagem, vai ver, esse tb tem.Se voce passar o ano inteiro amiga dos jurados, aposto que ano que vem ganha alguma coisa, mesmo que os envelopes sejam lacrados. POis nao é assim em Hollywood? A regra vale para todos, concurso é concurso, tem marmelada...Socorro, desculpe ai Paraty, so estou tentando ponderar com uma amiga que ficou triste por que voces nao deram o premio para ela, seus insensiveis e de mau-gosto. Bom nao ter compromisso ne? Otimo.
Beijos da Cam

Diz disse...

Lia, boa noite. Já fui lá:)

Camille, flor :) sabe por que eu não falo mais de mim? porque acho q falo demais- gosto de falar- (já me chamaram de umbiguista aqui) e tb porque tenho uns desafetos q me leem e eu não quero dar o gostinho de me lerem na intimidade- dei um tempão não falando de mim- ai eles desistem, não é assim? acho q dá p voltar ao blog como era antes. Depois de mto filme, conversa jogada fora, posso voltar a ser eu mesma.
Bjs qrda, Elianne-Laura

Anônimo disse...

Amiga, aqui em Salvador e igual, a cidade com chuva e vento fica triste e feia.
Saudades de noticias suas, mandarei um email contando as novidades.'Beijao e Te adoro Ivana