terça-feira, janeiro 19, 2010

"Le Petit Prince" e Coco Chanel

Estou postando isto terça, fiz no domingo, não consigo ficar no computador mais de vinte minutos- sou solocitada, ando à beira de um ataque de nervos- felizmente vou trabalhar agora- desligo. Amigos me perdoem por não visitá-los. Não dá.



Acabo de ver um trecho de "Start" na Gnews sobre uma exposição, que esteve em São Paulo, sobre "O Pequeno Prícipe".

Vejam as fotos aqui.

Danyela Thomas fez esculturas. Para quem não sabe, é filha de Ziraldo e ex- mulher do Gerald.

A repórter, que não sei o nome, entrevistou Tom Zé. Perguntou:
Você, que cuida do jardim do seu prédio, acredita que não se devem ouvir as flores? ou que as rosas não falam, como diz a música? Ele deu uma resposta legal. Gostou da pergunta e disse que não diria nada, se a respondesse quebraria o encanto.

Disse algumas coisas interessantes que não sei mais...Falou sobre estar mais velho, hora de pensar no fim, hora em que sentimos o quanto estamos solitários- nascemos e morremos sós. E otras cositas más que olvidei.

Eu li “O pequeno príncipe” de Saint- Exuréry quando mocinha, adorei, copiei dezenas de vezes alguns trechos, que enviava pelo correio aos amigos- talvez fosse já ‘blogueira”. Sempre gostei de copiar poemas, letras de músicas, escrever o que sentia...

Muita gente só conhece este livro do Exupéry, eu gostei demais de “Terra dos homens” também copiei trechos, um deles nunca esqueci, fala sobre amizade. Li Também “Vôo noturno” e adoro este título. Se tivesse pensado antes de dar um título ao blog, teria escolhido este- já pensei em mudar, mas perderia muitos leitores. Acho que vivo num vôo noturno.

Ah! O Tom Zé fez um comentário no livro de presenças da exposição onde ele fala sobre aquilo que nunca está pronto, uma larva, um vir a ser. Fez um texto muito bonito. No programa ele no final recita e faz uma performance, onde o livro se transforma numa borboleta.

Á tarde vi “A rosa púrpura do Cairo”, que delícia- ficção inteligente e sensível- adoro Wood Allen.


http://www.astrologyweekly.com/natal-charts/images/coco-chanel.php.jpg

Vi também a vida da Chanel, no GNT, com Shirley Mac Laine- boazinha a série, nada de mais. A atriz que faz a Coco jovem é linda e graciosa – saudade da juventude em mim.
Não adianta me consolar- sei que estou bem, mas queria perpetuar a juventude. Pode ser fútil isto,eu sei, mas acho lindo uma jovem cheia de graça, desejo de viver, projeto de vida. A gente vai envelhecendo e murchando os desejos- ou sou eu? Pode ser.

Outros filmes sobre Chanel aqui.

Falta vontade de...

3 comentários:

angela disse...

A gente esqueçe dos desejos, tente lembrar que vale a pena.
beijo

Leila Silva disse...

Madame, madame!

Eu compreendo, ficou louca também se não tenho tempo para mim. Desejo que isso mude logo (para você e para mim também, não está muito diferente aqui)
A Rosa Púrpura do Cairo eu vi há muitos anos e quer muito rever, adorei este filme na época.
Abraços

Diz disse...

Queridas, obrigada.
Ah! os meus desejos... outro dia saquei q nem a comida eu faço como gostaria. Enfim, os filhos são qrdos e eu os amo e é complicado viver junto c qquer pessoa, né? mãe então... ainda mais qd é poderosa e inteligente- é f.
Um bjão nas duas, amanhã vou lá nos seus blogs- agora estou no PC dos filhos, estão usando meu lap top. O teclado é diferente...
Cansei. Vooou dormir