segunda-feira, fevereiro 23, 2009

O sol negro e as vacas

O caminho das vacas

A casa onde vivemos

Florzinha, a gata, traz para dentro de casa lagartos todos os dias. Seinfeld, o gato belicoso e belo macho, sai para brigar com o vira-lata todas as noites. Saio em socorro, mangueira na mão, colocando o outro gato a correr.

Florzinha é mais esperta que Seinfeld, está sempre atenta. Corre em disparada quando vê algo lá fora. Entra no jardim do vizinho atrás de um pássaro, sobe na churrasqueira, o que faz o alarme disparar, algumas vezes.

Estes dias quebrou telhas recostadas no muro do canteiro de obras, tentava alcançar um lagarto.

Espero que nenhum vizinho resolva acabar com a festa dela.

Outro dia acordei às três da manhã com o Seinfeld miando lá fora. Coloquei-o para dentro. Ele, em agradecimento, se esfregou em meus pés miando. Gato é um bicho interessante, não sabia, não gostava. Os meus só faltam falar :) Acho engraçado a gatinha miar, todos os dias, do outro lado da porta, na hora em que eu acordo, ou ela sabe o horário ou percebe que me movo na cama...


Moro ao lado de um canteiro de obras. No início sentia pena dos operários, que, explorados, trabalham mais do que deviam por lei.
Agora relaxei. Percebo que são mais felizes, ou conformados, do que eu supunha-riem muito e toda vez que faço um comentário sobre o sol escaldante e o trabalho me respondem com uma frase tipo: "Pobre tem que sofrer, mesmo." "É melhor trabalhar do que ficar parado gastando o que se tem” - ouvi hoje, segunda de carnaval, de um deles, o mestre de obras que fazia um servicinho extra para a empresa- aterrava um terreno.


Na noite passada ao me deitar ouvi um leve ruído, fui ver o que era, uma perereca- saltava pelo quarto. Não tenho medo delas, peguei com um pano e joguei-a pela janela. Ih! Será que a matei? Acho que não, é muito leve.


Algumas vezes vejo um sapo gigante perto do bueiro aqui em frente. Deste nem chego perto. Quando trabalhei no SPA Genipabu vi sapos imensos. Os hóspedes tinham muito medo. As paulistas pediam para o segurança da noite acompanhá-las até o quarto. Hum...

Bom, chega de malícia, havia também um número enorme de rãs ali, nunca vi tantas. Subiam no armário de toalhas do SPA. Incrível. Era época de chuvas, muita umidade no ar. Hoje está fresco e chuvoso, coisa rara na terra do sol.


Ontem olhava a janela do meu quarto e vi vacas passarem pela duna. Chamei meus filhos para as verem em fuga, não vieram. Um deles disse:

- Ver vacas, mãe? Cansei de ver na viagem.
Viajou daqui até São Paulo de carro com amigos. Diz que o que tem de gado pelo caminho...

Minutos depois vieram dois peões a cavalo. Acompanhei daqui o trajeto das nove vacas. Atravessaram o asfalto adiante, mas voltaram obedecendo a um dos homens que veio a pé enxotando-as até a Fazenda aqui atrás.

Fazia tempo não via vacas de perto, são grandes...

A casa anda cheia estes dias, amigos dos meninos, namoradas... os rapazes dormem aqui. Jogam conversa fora ou RPG até tarde, tocam violão, riem muito. É bom e saudável. Fico feliz por eles.

Ontem ouvi uma amiga dizer que Natal é a segunda cidade mais clara do MUNDO. Nossa! Cabo Frio também era... sofro com muita luminosidade.

Acabei de ler o livro do Yalom sobre morte, é bom, mas nada excepcional, discordo de algumas posturas dele, mas é assunto para psis. Agora leio um livro que tenho há anos: Sol negro, de Julia Kristeva. Havia lido algumas páginas, agora estou lendo pra valer. É uma visão da melancolia que tem mais a ver comigo. Fala de amor, literatura. Estou gostando. Como hoje chove muito, fiquei lendo na rede, coisa que não faço nunca, leio na beira da piscina, sob guarda- sol, me deu um sono danado...

6 comentários:

Maria Muadiê disse...

oi, Eliane, fico sempre em dúvida de como te chamar, como você prefere?
A convivência com bichos faz bem, não é? Eu gosto. Tenho um gatinho pela primeira vez e também estou gostando. Acho que vou castrá-lo, mas acho tão estranho fazer isso...
Me deu uma vontade danada de ler esse livro de Kristeva. Estou lendo a biografia de Maysa, o ideal para esse período em que não estou lá muito bem. A biografia ~´e um livro bem escrito, excelente pesquisa, mas não pede muita concentração.
Um beijo

Anônimo disse...

de onde vc descreve essa claridade?
Está em Natal?

luzdeluma disse...

Amor, nos dias que esqueço os óculos de sol em casa, a noite eles estão secos e ardendo. Além da cidade ser clara, as areias brancas e finas refletem em dobro o sol. Acho que é isso que acontece aí também. Sempre tive curiosidade em saber se as praias por aí são todas de areias brancas também.

Só tive um gato - o Zé Ronaldo Gatinho - Ele me acordava a noite para tirá-lo das árvores - subia e não sabia descer. As vezes trancava ele no meu quarto para isso não acontecer, mas ele danava-se a brincar com meus cabelos. Foi o primeiro e único! Também corria atrás de sapos e tudo que se movia. Quem sabe um dia ainda tenho outro gato?

Boa semana! Beijus

D. disse...

Martha, minha querida, os gatinhos me fazem mto bem, chego em casa e eles me alegram. Eu castrei os meus, é preciso p evitar que fujam, moro numa casa num cond. fechado- eles assim ficam mais caseiros- tb acho estranho, pero...é mais seguro p eles tb. Tenho um livrinho sobre gatos onde os autores dizem que gatos são mais expostos ao perigo- as pessoas andam com cães em coleiras etc, mas gatos...caem de janelas,fogem e são mortos envenenados...
enfim...
chega de ...a franka odeia :)
internet tem estas coisas, jamais esqueço que franka odeia ... e hahaha,sabe quem é a franka? minha amiga que fica sumida, escreve lindas crônicas e é super gente fina, eu a conheci.
Eu estou gostando da Kristeva, mas não sei se é interessante para quem não é daárea, fala mto de teoria, mas vc entenderá, não é difícil, apenas mais específico.

Anônimo, é Natall. Aqui tem uma luz... agora mesmo o sol está no meu campo visual, é 5 da tarde ele se põe na minha frente- tenho sempre um belo pôr-do-sol.
Seja bem-vindo sem anonimato :)

Luma, ah! Cabo Frio é luz demais- a praia dai é pior que a daqui em luminosidade e são mais belas tb- o pessoal daqui não gosta de ouvir isto, mas mar como o dai... acho que só na Indonésia. E a areia daqui é escura, tipoaquela de Búzios, Geribá, Ferradura... como a praia do Forte...não conheço. Lembro da primeira vez que subi a rua do colégio estadual e vi o mar azul e a areia branquinha... inesquecível. Minha mãe temum apto ai ainda, sabia? pertinho do mar, próximo do Teatro.

Bjs meninos, Laura

Maria Muadiê disse...

Eliane,
também acho estranho castrar, mas o veterinário também acha que é proteção. Também moro em casa, ele chegou muito pequeno aqui, e nunca saiu de casa, contenta-se com o quintal, mas escolheu o bicginho de pelúcia como namorada.
Sabe que já estudei psicanálise? Sou psicóloga e a linha teórica que sempre gostei e estudei foi psicanálise, tenho uma noção.
Faz algum tempo desisti da clínica, vi que não é a minha praia. Fiz análise por 11 anos e ainda não foi o suficiente. ;)
A questão é que minha lista de desejos de livros é enorme...estou com vários aqui já me esperando. Mas sabe como é o desejo, de repente ele fala mais alto e um livro fura a fila.
beijos, querida

liz disse...

Obrigada pela resposta- depois de ler alguns comentários do seu blog percebi que é de Natal que vc fala.

Identifiquei-me ao escrever, mas fiz algo errado(não sou muito familiarizada com blogs) e meu nome não saiu. Vamos ver agora se consigo, Liz
Obs: gosto muito do que escreve!