sábado, junho 27, 2009

Micros contos- Arquivo revisitado




Microcontos- cada linha é um micro.


O sangue espirrou, vi, desta vez, os seus olhos suplicarem.


Deu um grito gutural, da boca saía uma espuma branca. Era tarde.


Quando a onda me engoliu, pedi perdão. E não socorro.


Vi o pânico nos olhos, tomei seu corpo com mais desejo. Fundo.


Escondi a faca de cortar carne. Esta seria sua última trepada.


Despertei suja de sêmen, corri a mão no lençol frio. Calafrio.


Cerrei os olhos, úmida e quente. Deixei que fosse até minh'alma.


Rubro e úmido meu sexo aguarda o teu, buscando outros sexos.


Dói áspero teu sexo, me rasga. Finjo prazer para te esfaquear pelas costas.


Quis fazer das pernas tesouras- cortar- tua força venceu.


Arranhado diz rindo: "Foi você". Amanhã não rirá lanhado por mim.


Te encontro pronto, teus pés em oferenda. Lírios brancos. (baseado no livro de Raduan Nassar. "Um copo de cólera”.


Escuto passos, não me volto. Tuas mãos, taças, aquecem meus seios.


"Eu te amo", dizes. Teus olhos negam. Minha mão constrita te afasta.


A mão na coxa me puxa, rude. Não há como dizer não.


Teu corpo pronto e belo me faz desejar montar até a exaustão.

4 comentários:

Hélio Jorge Cordeiro disse...

Engraçado, Laura, mas esses micros-contos me pareceram um só...Gostei de todos; diretos, do tipo que deixam a gente todo lanhado e sem folego, pedindo pelo amor de Deus um cigarro!
bjos

PS: Ah, amanhã, provavelmente, já estará postado um conto em sua homenagem lá no Contos da Cultura. O título, é claro, está em francês! rsss

D. disse...

Obrigada :) bom que gostou. Uma amiga tb pensou seu uma coisa só.
Bj Laura

Hélio Jorge Cordeiro disse...

Quanto a postar mais contos por lá, um foi para homenagear você, outro foi just for fun, ma chérie! bjos

Anônimo disse...

Maria Augusta disse...

Nossa, quanta força física e psicológica neste conto. Genial!